ANTENA PARANÓICA

lemos e descolamos o que há de melhor na rede

Arquivo para o mês “março, 2012”

UM CEGO DIRIGE UM CARRO


google-testa-carro-para-deficientes-visuais-04020E993462CCB12326?types=A&

Anúncios

ONDE A TERRA TREMEU NAS ÚLTIMAS HORAS


Um site monitora as as atividades sísmicas no mundo. Eu aproveito para colocar como dica aos interessados. Cliquem AQUI.

O TRANSPLANTE DE ROSTO MAIS DIFÍCIL


 

Um rapaz de 37 nos Estados Unidos passou por uma cirurgia de 36 horas na qual recebeu um transplante de rosto que se estendia desde o fio do cabelo ao pescoço.

Richard Lee Norris, de Hillsville, estado da Virginia, foi submetido ao procedimento cirúrgico que incluiu a substituição da mandíbula, um conjunto completo de dentes, da língua e do pescoço. A cirurgia substituiu boa parte do rosto do paciente, exceto os olhos e parte da sua garganta.

Ele é o paciente número 23 no mundo a receber um transplante de rosto. Os médicos do Centro Médico de Traumatologia R. Adams Cowley, da Universidade de  Maryland,  disseram que foi a mais longa cirurgia desse tipo, devido à extensão da área de tansplante e da colocação de um conjunto completo de dentes.

A operação começou às quatro da manhã de 19 de março e terminou no dia seguinte entre duas e três da tarde.

“O rosto é parecido com uma mistura do rosto de Richard e dos doadores”, disse Dr. Eduardo D. Rodriguez, professor de cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland. “Há algumas características únicas, nariz e queixo, que foram substituídos na sua totalidade. Fora isso, é uma combinação de ambos os indivíduos”, disse ele.

O hospital não divulgou detalhes sobre o doador anônimo, a pedido da família, que deu seu consentimento para o procedimento de transplante. Além disso, seu coração, pulmões, fígado e rins eram outros órgãos usados para salvar as vidas de outros cinco pacientes, de acordo com o hospital.

ORIGINAL: CNN

O CICLISTA QUE SALVOU 800 JUDEUS DO NAZISMO


Durante a Segunda Guerra Mundial, Gino Bartali seguiu seus treinamentos na Toscana e graças a esse empenho conseguiu a proeza de ganhar outro Giro e outro Tour no pósguerra, dez anos depois de haver ganho os anteriores. Quase ninguém sabia que esses exercícios ajudaram a salvar a 800 judeus da perseguição nazi-fascista.

Patrulhas fascistas italianas não se atreviam a incomodar Bartali, um ídolo nacional, de modo que ele usou seu treinamento para conectar as igrejas e conventos em que uma rede católica subterrânea ficou ocupada em salvar judeus. Pedalava até a entrada secreta dos mosteiros, enchia a sela e p guidom com passaportes falsos que escondia nos tubos da bicicleta e continuou com a formação de várias paróquias para entregar os documentos aos sacerdotes que os  redistribuiam entre os judeus em fuga. Outras vezes, as rotas de Bartali serviram como guias para indicar os fugitivos que eram os meios mais confiáveis para escapar ou para chegar a um porto seguro.

Bartali morreu em 2000, aos 85 anos, e o segredo de sua colaboração só ficou conhecida apenas três anos mais tarde, quando Giorgio Nissim, um judeu italiano trouxe à luz alguns documentos  que encontrou para montar a rede de salvamento. Em novembro de 2010 ele fizeram um reconhecimento póstumo a Bartali no cemitério Jardim dos Justos, em Jerusalém. O ciclista morreu sem dizer nada. Ele acabou de fazer o seu dever.

ORIGINAL

O quanto contamina o uso de uma bicicleta


O que contamina uma bicicleta

Por: Clemente Alvarez | 21 de Março de 2012

Folding bicicleta marca Ibiza

Poucos objetos tem uma melhor reputação ambiental quanto uma bicicleta. Esta máquina aparentemente simples, mas de tecnologia cada vez mais complexa, é sem dúvida o veículo mais ecológico no qual a gente pode se mover. Paradoxalmente, as informações sobre a fabricação de qualquer um destes dispositivos são tão raras e vazias como o produto mais poluente. Se alguém tenta traçar como é feito hoje uma bicicleta, tudo que você pode ter certeza é de que seja uma marca brasileira ou de outro país da Europa ou EUA, além das que procedem da Ásia.

Não há quem discuta que um dos meios mais eficazes para reduzir a poluição hoje é pedalar, em vez de ficar em um veículo a motor. No entanto, uma bicicleta também continua a gerar uma série de impactos, quando vistos em todo o seu ciclo de vida, a partir do qual são extraídos para a fabricação de materiais a ser administrados como resíduos. Em um estudo de 2010 no Massachusetts Institute of Technology ( MIT ), por Shreya Dave , estima-se que o uso de bicicletas para o trabalho nos EUA está a gerar, em média, 33 gramas de CO 2 por quilômetro percorrido de passageiros, um número no qual se leva em consideração tanto o gás expirado pelo ciclista como que gerado pelo fabrico da máquina ou a construção da infra-estrutura necessária (1) . As emissões calculadas para a moto são as mesmas da que para uma pessoa que viaja a pé , aumentando para 85 gramas de CO 2 por quilômetro de passageiros que viajarem em um ônibus lotado na hora do rush , 126 gramas para os que usam um trem, 210 gramas os que usam  um Boeing 737 , de 382 gramas para um carro sedan , 446 gramas para um carro esporte , de 619 gramas de uma van ou 674 para um ônibus com a maioria dos assentos vazios (2 ) .

Para continuar lendo o artigo (em espanhol) clique no site do ECOLABORATÓRIO.

 


Dez crianças foram castradas por psiquiátricos católicos holandeses por causa de seu “comportamento homossexual” ou para puni-los por ter relatado o abuso por parte do clero, segundo o jornal holandês publicado hoje pelo NRC Handelsblad.

Pesquisa realizada pelo jornal tem sido possível graças aos depoimentos das próprias crianças, como adultos, entre os quais se encontram pelo menos 10 casos de castração. Em um deles também é uma prova clara de abuso sexual, tais como relatórios médicos, documentos legais, cartas e depoimentos de várias testemunhas.

Esta pesquisa começou em 2010, quando o governo holandês lançou o “Deetman Comissão” para investigar o abuso sexual de menores pela Igreja Católica. Apenas um fato descoberto por esta comissão: Entre 10.000 e 20.000 crianças foram violadas .

Track | LaInformación

A LÂMPADA MAIS ANTIGA EM ATIVIDADE


Quanto tempo dura uma lâmpada? Depende, diria você. Na verdade, as tradicionais duram uma média de 1.000 horas, enquanto as de baixo consumo chegam a durar 8 mil horas.  A lâmpada de maior longevidade durou 111 anos acesa.

Pelo menos é o que revela o site Culturizando. ao contar que essa lâmpada encontra-se na cidade de Livermore (EUA) e está funcionando desde 1901, quando foi colocada numa unidade de bombeiros.

Daquele tempo até hoje, deixou de iluminar poucas vezes  quando cortavam a energia na cidade e em 1976 quando o Corpo de Bombeiros foi transferido para outro local.

Essa ‘excentricidade’ conta com um filamento de carbono, completamente isolado por uma esfera de vidro e opera sob vácuo. Consome apenas 4 watts e foi reconhecida pelo Livro dos Recordes.

A lâmpada tornou-se atração turística na cidade e ainda está em pleno funcionamento.

TEXTO ORIGINAL

CIÊNCIA: Moscas sem sexo buscam consolo no álcool


Matéria de Ricardo Bonalume Neto, da Folha de São Paulo,  conta que a culpa é de neurotransmissor semelhante a outro que também existe no ser humano.

“Ela não quis transar com você? Encha a cara! Esse é o curioso recado que as moscas de frutas deram agora para os humanos -embora não seja algo propriamente novo entre o Homo sapiens.

Mas, além de uma curiosidade científica, é algo que poderá ajudar no tratamento de problemas como alcoolismo, vício em drogas e obesidade.

Pesquisadores demonstraram que machos de moscas do gênero Drosophila que eram impedidos de fazer sexo comiam mais comida “temperada” com álcool. Já machos que tinham sexo à vontade mostravam pouco interesse em ficar “calibrados”.

Sexo, álcool e drogas são formas de “recompensa” para o cérebro. Na falta de um, o outro pode ser uma consolação, segundo o estudo publicado na revista “Science”.”

LEITURAS DA WEB: AS PERIGOSAS FREIRAS PARAQUEDISTAS DE HITLER


.

por Javier Sanz , publicado em Historias da História 

A relutância em uma nova guerra pela França e Inglaterra pela inexperiência dos respectivos primeiros-ministros, Edouard Daladier e Chamberlain, deixou o caminho aberto para Hitler ocupar a Polônia. Quando eles quiseram reagir já era tarde demais … a máquina de guerra alemã estava atacando a frente ocidental, caindo Luxemburgo, Bélgica, Holanda e finalmente a França.

Repressão brutal do exército alemão na frente foi acompanhada por outra ofensiva atrás das linhas inimigas. Esta nova ofensiva não tinha outro objetivo senão o de minar a resistência de dentro, de modo que o General Mola na Guerra Civil Espanhola, no caso da quinta coluna, e por esta tarefa Hitler tinha um mestre da propaganda e da confusão … Joseph Goebbels ( Uma mentira repetida mil vezes torna-se uma realidade ).

Goebbels colocou a máquina em movimento em transmissões de ondas médias de Colônia, Stuttgart e Leipzig e ainda sob o nome de Rádio Humanité (como o jornal comunista francês) feito para olhar como transmissões da França pelos comunistas. Começou por espalhar notícias falsas sobre padres e freiras pára-quedistas que se infiltraram na população, pára-quedistas usando uniformes da cor do céu azul que os fez se misturar de modo que eram invisíveis durante a descida … A propagação desta farsa também contribuiu para as declarações em Paris do ministro das Relações Exteriores holandês, Van Keffles: “Milhares de pára-quedistas alemães foram lançados sobre a Holanda e a Bélgica vestidos de padres, freiras ou enfermeiras “. Houve casos em que um grupo de freiras foram colocados em uma linha e inspecionados sem nenhuma vestimenta.

Todos eram suspeitos de serem espiões; isso se tornou uma epidemia . O caos, pânico, histeria e confusão tomaram conta da França e mais de 10 milhões de franceses deixaram suas casas fugindo dos alemães. Esse êxodo, o colapso da rede de comunicações, as armas e suprimentos que chegavam às frentes, os feridos que não puderam ser transferidos para centros médicos …

Essa batalha ganhou Goebbels.

Fontes: A lenda Blitzkrieg: a campanha de 1940 no Ocidente – Karl-Heinz Frieser, propaganda negra na Segunda Guerra Mundial – Stanley Newcourt de Nowodors, Mitos e Lendas da Segunda Guerra Mundial – James Hayward

Prefeito de cidade na Itália proíbe população de morrer


Decreto diz que está proibido ‘ultrapassar as fronteiras da vida na Terra’. Ninguém pode ir para o além porque não há cemitério na cidade.

Por meio de uma lei municipal, o prefeito de uma cidadezinha na Itália deu vida eterna a toda a população, de cerca de 4 mil pessoas. Desde o início do mês está proibido morrer em Falciano del Malssico, no sul do país.

Por decreto, ninguém está autorizado a ir para o além, pois não há cemitério na cidade e o do município vizinho, onde eram enterrados os mortos de Falciano, está lotado.

Até a instalação de um novo cemitério, “fica proibido ultrapassar as fronteiras da vida na Terra”, diz o decreto.

No entanto, duas pessoas morreram, desobedecendo o decreto. Mas elas não devem ser punidas, pois o prefeito nada disse sobre perseguição de almas.

Navegação de Posts