ANTENA PARANÓICA

lemos e descolamos o que há de melhor na rede

Arquivo para a categoria “jornalismo”


Os preços e salários na Roma antiga

por Javier Sanz em 29 fevereiro de 2012

Hoje, como estão as coisas, aqueles de nós a sorte de ter um salário verificar cada mês, como quedas … e obrigado. Vamos passear por Roma antiga, e graças aoÉdito de preços máximos ou o Édito de Diocleciano , vamos ver o que os salários que recebiam algumas profissões e em que os preços que enfrentavam.
Portaria Pergaminho

Gaius Aurelius Valerius Diocleciano Augusto , para os amigos Diocleciano , nasceu em uma família pobre e foi subindo na hierarquia para se tornar o comandante militar da cavalaria do imperador Caro . Após a morte de Caro e seu filho Numeriano , Diocleciano foi aclamado imperador pelo exército e governou de 20 de novembro até maio de 1 284 305.

Durante a segunda metade do século III o império romano sofreu uma grave crise – crise imperial – alimentado por guerras civis, lutas de poder, a pressão dos bárbaros, a peste ea crise econômica agravada pelos caprichos da política monetária (cunhando própria moeda) dos imperadores gananciosos. Em 301, para colocar alguma ordem, Diocleciano decidiu promulgar o Edito de preço máximo para estabilizar a moeda e amenizar a grave crise econômica. O cumprimento do decreto era obrigatória em todo o império e os preços também maior foi punido com a morte. Estes são alguns dos preços e salários em moedas de prata , que foram fixados no decreto:

  • Salários :
  • A produção primária – 25 por dia
  • Carpinteiro ou pedreiro –   50 por dia
  • Painter (pincel largo) –  75 por dia
  • Pintor (caixa) – 150 por dia
  • Lã tecelão – 175 por camada
  • Baker –   50 por dia
  • Construção do barco, rio e mar –   50-60 por dia, respectivamente .
  • Cavaleiros do Apocalipse – 25 por dia
  • Barbeiro / cabeleireiro – 2 por pessoa
  • Limpador de esgoto – 25 por dia
  • Enter, para melhorar a escrita – 25 por 100 linhas . Elaboração de petições ou documentos públicos – 10 por 100 linhas .
  • Maestro: de 50 por mês por aluno para as crianças de até 250 por mês por aluno de Retórica .
  • Meia Legionário – 15.400 por ano , incluindo o valor do trigo recebido por ano.
  • Guarda Pretoriana – 19.000 por ano , incluindo trigo.
  • Preços
  • Trigo, um Modio (8,75 kg.) –   100
  • Cevada e centeio, uma Modio – 60
  • Lentilhas, um Modio – 100
  • Sal, um Modio – 100
  • Feijão, um Modio – 100
  • Rice, um Modio – 200
  • Vinho, como um Rioja ou Ribera del Duero, uma sextarius (1/2 litro) – 30
  • Vinho de mesa ou casa, um sextarius – entre 8 e 16  
  • Cerveja de gala, um sextarius  – 4
  • Cerveja egípcia, um sextarius – 2
  • Querida, como o Alcarria, um sextarius – 40
  • O azeite de oliva, um sextarius – 40
  • Carne de porco ou carne de veado, uma libra (326 gramas) – 12
  • Carne, um quilo – 8
  • Uma galinha – 60
  • Um faisão – 250
  • Peixe de mar, uma libra – entre 16 e 24 . Para o rio, uma libra – entre 8 e 12
  • Peixe salgado, um quilo – 6
  • Manteiga, um quilo – 16

É muito difícil fazer uma comparação desses preços com a atual, mas pode ser usado para ter uma idéia do que cada cidadão romano poderia comprar com seus salários e as diferenças entre as várias profissões. Além disso, devemos também levar em conta a percentagem dos salários em comida não tem nada a ver com o empregado na Roma antiga. Como curiosidades: a recompensa por uma vitória de um gladiador poderia igualar o salário anual de um professor eo cocheiro Key Apuleio Diocles , o Fernando Alonso na época, passou a ganhar na sua carreira cerca de 35 milhões de sestércios (um centavo – quatro sestércios), no segundo século.

Fontes: Coins Antigo Fórum e Constantino, o Grande moedas

Anúncios

OS DEUSES MANDARAM AGORA UMA BOLA, NÃO UMA COCA-COLA



Parece uma história daquelas do filme “Os deuses estão loucos”, que assinalou a miséria de um povo que uma garrafa de Coca-Cola ao “cair do céu”. Desta vez, o objeto que veio do alto foi uma bola oca de metal que foi parar lá na remota Namíbia.

O povo namíbio está tão confuso que o governo contatou a NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA) para resolver o mistério que estava começando a preocupar a população. Eles acreditavam em ‘aliens’ e maldições terríveis, talvez, dos deuses.

Ninguém foi capaz de determinar a origem da bola com cerca de seis quilos e um diâmetro de cerca de 35 centímetros (cerca de 1,1 metros de circunferência) . Relatou-se ser uma “liga de metal conhecida pelo homem”, e que é extremamente difícil e parece ser de “duas metades”, segundo o diretor Paul Ludik da polícia forense.

A bola foi encontrada perto de uma pequena cidade ao norte do país, cerca de 750 quilômetros da capital Windhoek e caiu com tanta força que deixou um rastro de 18 metros a partir de seu ponto de impacto, além de deixar um buraco de 3,8 metros de largura. A descoberta foi feita em meados de novembro, mas as autoridades decidiram fazer testes antes de torná-la conhecida.

Seria um acontecimento tão singular, de acordo com autoridades da Namíbia, pois segundo pesquisas na Web indicam que também caíram bolas de seu tipo na África, Austrália e América Latina durante as últimas duas décadas. Apesar do perigo de cair objetos pesados, concluiu-se que a desta área não é perigosa, porque não é explosiva.

FONTE

OS MÁRTIRES DA REVOLUÇÃO EGÍPCIA


As imagens a seguir são fortes. Reunidas por diversas pessoas, as cenas revelam o martírio infligido ao povo egípcio pelas tropas do ditador Mubarak, antes de ser derrubado do governo. São imagens fortes, menos do que a força desse heróico povo que teve um ano 2011 de lutas. E de vitórias.

CAPA DE JORNAIS MENSAIS: O DEBATE DE MINAS


Acesse-o AQUI

HEDGE ZERO, O BLOG QUE ATERRORIZA OS MERCADOS


Zero Hedge, o blog que aterroriza os mercados

10 de setembro de 2011 – 00:12 –

Um blog americano chamado Zero Hegde abalou os mercados na sexta-feira e colocou a Grécia na corda bamba.
O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos , acusou ontem nesse blog de ​​ser culpado pelo rumor de que seu país estava suspendendo os pagamentos. “Este é um jogo de muito mau gosto,  uma especulação orquestrada  que visa atingir o euro e a todos da zona euro “, disse Venizelos.

Um posts divulgado  em Hedge Zero  por volta de 7:44 da sexta-feira, dia 9 setembro, deu o primeiro tiro: “Hoje é dia D para os titulares de debêntures da Grécia” , disse. “Eles vencem esta tarde.” Ele acrescentou que a operação correu o risco de não sair e que poderia significar que muitos bancos estão bloqueadas. Em resumo: “Bancarrota, a palavra que não deve ser ouvida na Europa.”

Como resultado dessa visão, os mercados tornaram-se nervosos. As ações européias caíram na sexta-feira mais de 4% em média. As espanholas perderam 4,44%.

“Não é a primeira vez que se organiza uma onda de boatos sobre a falência da  Grécia “, disse Venizelos em comunicado, rejeitando a versão de Hedge Zero. Mas o estrago já estava feito.

E quem assinava aquele comentário do blog Hedge Zero? Um tal Tyler Durden .

Muitos cinéfilos vão se lembrar do personagem no filme ‘Clube da Luta’ . Interpretado por Brad Pitt , o personagem cria um clube que inclui personagens marginalizados para treiná-los a promover lutas onde descarregam toda a raiva deles. Ele é baseado no romance de Chuck Palaniuk o mesmo nome. Isto é, Tyler Durden é um pseudónimo atrás do qual se escondem muitas empresas que não querem aparecer em público e usam o Hedge Zero.

Analistas, jornalistas, peritos, banqueiros … Ninguém sabe quem escreveu o post e se é a mesma pessoa. Há rumores de que pode ser um certo Daniel Ivandjiiski , coisa que ele nega.

Fundada em 2009, Zero Hedge tornou-se famoso por seus ataques ao Goldman Sachs . Ele acusa esse banco de investimento de alto risco especulativo e de fórmulas cabalísticas aplicadas à bolsa de valores (como o comércio de Alta Velocidade), e tráfico de informação privilegiada.

O fato é que a grande mídia regularmente cita Zero Hedge e Tyler Durden e sua empresa como uma fonte de informação. Do The New York Times  a agência de notícias Bloomberg . Centenas de jornalistas e especialistas não só gostavam de seus comentários, mas apaixonadamente seguem suas mensagens curtas no Twitter clicando @ zerohedge que, aliás, é ilustrado com uma foto provocativa de que Brad Pitt é mostrado aqui. (Tem mais de 45.000 seguidores). 

Muitos especialistas em Wall Street acusam Zero hedge fazer teoria conspiratória do Banco Mundial. Mas outros defendem esses informações anônimas revelando a verdadeira situação financeira e as práticas ilegais do sistema financeiro.

Ontem foi, sem dúvida, o centro da atenção mundial . Durante todo o dia, ele publicou mais de 30 comentários, muitos deles como o colapso apocalíptico do euro, o que eles chamam a si mesmos Eurocalipsis . Para jogar mais gasolina no fogo, a frase que escolheram em seu site é: “Em um período de tempo suficientemente longo, a taxa de sobrevivência para todos cai para zero.”

Hedge Zero mostra em seu site um manifesto no qual você pode ler, entre outras coisas, algo que dá pistas sobre quem poderia estar por trás , “Nossa missão é examinar com ceticismo a instituição fraca que se tornou o jornalismo financeiro e se é necessário  atacá-lo. “

O que está claro é que, se alguém duvidava da influência deste blog, certo ou não, esta semana tem sido demonstrado que um comentário de Tyler Durden pode provocar pânico nos mercados. E Grécia.

 

Compilado do blog de Carlos Salas/Informacion

CURIOSIDADES SOBRE A REVISTA ‘PLAYBOY’



1. O nome original da Playboy foi “Stag Party” (Festa de Cervos) e seu logo não era um coelho mas um cervo.

2. O primeiro número continha uma história de Sherlock Holmes.

3. A primeira modelo em suas páginas centrais foi Marylin Monroe.

4. O primeiro número custava 50 centavos de dólar.

5. O número mais vendido na história da Playboy foi o de novembro de 1972 (7.161.561 cópias).

6. Pamela Anderson foi a mulher que apareceu mais vezes na capa da revista. Desde outubro de 1989 até hoje já apareceu mais de 10 vezes.

7. Só 7 homens apareceu na capa da Playboy: Peter Sellers (1964), Burt Reynolds (1979), Steve Martin (1980), Donald Trump (1990), Dan Aykroyd (1993), Jerry Seinfeld (1993) e Leslie Nielsen (1996).

8. Playboy segue sendo a revista para homens mais vendida, ao redor de 3 milhões de exemplares ao mês.

9. A playmate do mês ganha, aproximadamente, 25.000 dólares.

10. A playmate do ano ganha 140 mil dólares, um carro e uma moto.

11. A primeira playmate que mostrou os pelos pubianos foi Marguerite Empey no número de fevereiro de 1956.

12. A primeira playmate afro-americana nas páginas centrais foi Jennifer Jackson, em março de 1965.

13. O primeiro número com gêmeas nas páginas centrais (Mary e Madeleine Collinson) foi o de outubro de 1970.

14. O primeiro número com trigêmeas nas páginas centrais foi em dezembro de 1998 (as trigêmeas Dahm).

15. Entre as playmates de Playboy estiveram mulheres hoje famosas: Marilyn Monroe (Dezembro de 1953), Kim Basinger (Fevereiro de 1983), Drew Barrymore (Janeiro de 1995) e Farrah Fawcett (Dezembro de 1995 e Julho de 1997).

@Culturizando

POLÍCIA INVADE TEMPLO QUE USA MACONHA DE FORMA RELIGIOSA



Uma igreja, cujos membros declaram usar a maconha para “uso religioso” foi invadida pela Polícia hoje à tarde. Li a informação no Twitter e fui ao site da revista Trip, onde vocês podem acessar maiores informações.

OLHA O NÍVEL DAS ENQUETES BRASILEIRAS


RÁDIO deixa vazar obtiuário de José Sarney



Está no Globo: “Uma gravação de 21 minutos, feita pela Rádio Senado, vazou nesta segunda-feira e o jornal “O Estado de S. Paulo” teve acesso ao obituário já preparado para o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Aos 81 anos, Sarney acaba de assumir o comando da Casa pela quarta vez.

Intitulado “Reportagem especial em homenagem ao senador José Sarney”, o programa relembra a trajetória do político, sempre com os verbos no passado. Entre os trechos, há passagens sobre o regime militar, a ligação de Sarney com as artes – “Ele era membro da Academia Brasileira de Letras desde 1980” -, a primeira vez que ocupou a presidência do Senado e a crise que atingiu a Casa.

O programa começa lembrando que a Presidência da República foi o ponto alto da carreira de Sarney e chega a listar os planos econômicos fracassados naquele período. O material mistura depoimentos de figuras públicas, entre elas, o ex-presidente Tancredo Neves, já falecido, entrevistas e discursos do maranhense.

De acordo com a Secretaria Especial de Comunicação do Senado, a rádio não tem um obituário, mas uma “biografia” de Sarney, da mesma maneira como tem prontas as biografias dos outros 80 senadores. Sobre os verbos no passado, a secretaria diz que pode ter havido “erro verbal”.

DICAS para todo jornalista seguir



Tim Radford é um veterano jornalista neozelandês. Em seu curriculum destaca trabalho para o diário inglês ‘The Guardian’, durante 32 anos, durante os quais ocupou postos como a direção das editorias de artes, literatura e Ciências. Precisamente nesse âmbito, a Associação dos Escritores Britânicos de Ciência o nomeou quatro vezes escritor do ano. Agora, decidiu compartilhar suas mais de cinco décadas de experiência na imprensa elaborando uma lista de 25 recomendações que todo jornalista deveria conhecer e respeitar. O GENTE DE MÍDIA traduziu esse texto publicado no site PeriodistaHOY, na expectativa de ser útil a todos nós que utilizamos a mídia de alguma maneira.

01. Quando você se senta para escrever, só uma pessoa é importante em sua vida. É alguém a quem, provavelmente, nunca você nunca conhecerá: o leitor de seu artigo.
02. Não trate de impressionar o cientista que acabou de entrevistar, nem ao diretor de sua mídia, nem a garota ou o garoto atraentes que conheceu numa balada. Escreva para impressionar o trabalhador que vai de metrô ou de ônibus e, se não sentir interessado, não tardará um segundo em deixar de ler-te.
03. Por tanto, cada frase que escrever há de ser a mais importante de sua vida. Tem que ser interessante para o leitor.
04. Não use um estilo pomposo. Espanta os leitores. Utilize palavras simples, frases curtas e ideias claras.
05. Ninguém se molestará se escrever algo “demasiado fácil de entender”.
06. Ninguém é obrigado a ler o que você escreve.
07. Em caso de dúvida, considere que o leitor não sabe nada do tema do qual você fala. Mas tampouco pense que o leitor é estúpido. Não supervalorize seus conhecimentos, nem menospreze sua inteligência.
08. A vida é complicada. O jornalismo não pode (nem deve) ser complicado. Precisamente os leitores acorrem a imprensa para que ela lhes explique os assuntos complicados.
09. A teoria do espaguete: se algo está emaranhado, como um prato de espaguete, encontre um único fio e puxe. Deve dar ao leitor algo simples, nada complexo.
10. Escolha um único quadro da narrativa para a sua história. Se o assunto de que fala tem várias peças importantes, escolha o ponto onde se cruzam. Você pode obter outros bocados, mas que não se desviem do terreno de sua escolha.
11. Tente resumir em uma frase a idéia principal do seu artigo. Pergunte a si mesmo, por um lado, se sua mãe iria entender, e por outro lado, se conseguiria ‘vendê-la’ ao editor de um jornal. Muitas vezes essa frase pode ser o ‘lead’ do seu artigo. Não comece a escrever até que você o tenha.
12. Há sempre uma primeira frase ideal para qualquer item. Procure pensá-la antes de começar a escrecer. O resto será muito mais fácil.
13. Textos “simples” e “light” não são insultos para nenhum jornalista. Quem paga por um jornal quer assimilar informações rapidamente, sem notas, notas ou referências obscuras.
14. Há que se apelar para o sentimento do leitor. É uma das chaves para o sucesso. Não se sinta mal com isso, também recorrem a ele até os clássicos da Literatura.
15. As palavras têm seu significado específico. Não invente, por muito que lhe pareça boa. Em caso de dúvida, vá ao dicionário.
16. Evite clichês … salvo os que sejam corretos. Se você usá-los sabiamente pode ser muito útil.
17. As metáforas são até bem vindas, mas tente não ser muito chamativo. E não use várias ao mesmo tempo: pode ficar confusa.
18. A linguagem da imprensa é como a da rua. O texto não tem entonação, sem velocidade, sem acento e é baseado em gestos. Nada pode ser tomado como garantida. Seja claro e observe todas as regras da gramática.
19. Cuidado com as palavras excessivamente longas e os jargões técnicos. Se houver mais sinônimos comuns, use-os. Por exemplo: é melhor citar uma refeição “abundante” do que pantagruélica.
20. No nosso caso, vamos escrever em português. Se não for essencial, evite termos em outras línguas, incluindo latina e inglês. Não há necessidade de usar “parking’ se temos “estacionamento”.
21. Ao público interessa aquilo que é mais próximo dele. A maioria de leitores preocupa-se mais com as ocorrências das rodovias do que amplas reformas econômicas lá no Suriname.
22. Leia. Muito. Tudo. Quanto mais variedades, melhor. Assim, aprende-se uma quantidade de coisas cujas palavras poderão encher meia página.
23. Cuidado com os dados absolutos. Se você definir algo como maior, menor, mais rápido ou mais forte… pode ser apareça outra coisa que o supere. Uma ação eficaz é utilizar a expressão “um dos mais ….” Ou, para citar referências, “o maior segundo (Guinness Book se for o caso)”.
24. Há coisas que, por respeito à lei, quer pelo bom gosto, simplesmente não se deve escrever. Evite complicações e ofensas gratuitas aos seus leitores.
25. Além da lei, os jornalistas têm uma responsabilidade social. Nós procuramos a verdade. E se é difícil de alcançar (por vezes acontece), pelo menos, tente ser justo; há sempre duas versões de uma história.

Navegação de Posts