ANTENA PARANÓICA

lemos e descolamos o que há de melhor na rede

Arquivo para a categoria “informática”

Google arruinou a vida de um empreiteiro


b57a409a15cd321275c0e8afdb041074_article[1]

E tem a história do americano Jeffrey Kantor, um empreiteiro do governo dos EUA, que  em 2009 tentou encontrar no Google “como construir um avião rádio-controlado”.  A função ‘autocomplete “do Google mandou sua pesquisa para “como construir bomba rádio controlado”.

Quando percebeu o erro na consulta, e pressionou ‘enter’,  desencadeou uma série de eventos e da perseguição dos serviços de inteligência dos EUA. Desde então, Kantor ficou sob vigilância constante, com todos os seus movimentos físicos e virtuais rigidamente controlados pelo governo.

Ele entrou na Justiça com ação, dizendo ser regularmente visitado por dois investigadores federais, que estavam ameaçando ele com observações anti-semitas. O recorrente alega também que, depois de sofrer assédio moral de superiores e colegas, incluindo ameaças de morte, foi demitido.

Kantor agora pede uma indenização de cerca de US$ 60 milhões em danos. Da mesma forma solicita que o Estado deixe de lhe espionar.

FONTE: CBS

Anúncios

TECNO. A velhice e o abandono das coisas


Eu li um artigo nostálgico do engenheiro José Ramon Hernandez que me deixou curioso. Fala sobre objetos que, talvez, tenhamos esquecido nesse mundo de tantas mudanças da Tecnologia. Algumas foram fantásticas descobertas que, in/felizmente,  deixaram de ser. Eu resumi algumas:

1. O ruído do modem ao conectar-se
Esse era um clássico para quem desejasse se conectar na Internet.

2. Utilizar um bolígrafo para rebobinar um cassete

3. O  botão «Turbo» do PC

Este botão permitía alternar entre apagado ou aceso, às vezes também mediante a com binação de teclas CTRL+ALT+- y CTRL+ALT++, o que reduzia ou aumentava a velocidade do relógio interno.

4. Os antigos disquetes de 5″ 1/4

5. O ruído de uma fita VHS ao ser rebobinada


6. A bolinha no mouse
7. Os «walkmans» ou «discmans»


8. O ruído de um disquete ao encontrar um erro

INFOGRAFIA DIZ COMO SERIA O MUNDO SEM INTERNET


Como seria o mundo sem a Internet é a pergunta formulada pela Online Education, ao avaliar um mundo sem a presença de dispositivos móveis como os que nos auxiliam nos dias de hoje. A infografia abaixo faz essa relação.

World without Internet
Via: OnlineEducation.net

DESCOBRIR UMA SENHA DE SEIS CARACTERES EM 4 SEGUNDOS


Um artigo sobre a escolha de senhas para a rede de computadores me chamou a atenção no blog do Laboratorio. Nele, fala-se sobre o avanço da tecnologia que tem alcançado desempenhos sem precedentes e, com isso, deveria fazer a nós usuários, uma preocupação para se manter à margem das tentativas de deliquentes que utilizam formas de hackear nossas senhas.

Através da explotação da arquitetura dos processadores gráficos foram feitas importantes melhores a nivel e processamento de dados. Esses avanços, lamentavelmente, também são utilizados pelos ‘hackers’ para maximizar a eficiência de seus ataques. Portanto, a investigação de novas tecnologias nem sempre vão ter um fio positivo. Como as empresas de ‘hardware’ não podem controlar estritamente o uso que será dados a seus dispositivos, é responsabilidade do usuário tomar medidas para prevenir possíveis ataques. A seguir analisaremos dados que nos revelam que o paralelismo proporcionado pelos processadores de dados através do processamento ‘multi-hilo’ pode superar amplamente o processamento das CPUs na decifração de contrasenhas.

Capacidade de processamento

Os estudos apontam resultados devastadores de utilização de GPU sobre CPU em ataques de força bruta. Uma contrasenha de 5(cinco) caracteres alfanuméricos pode ser vulnerada, por uma CPU atual, em 24 segundos a uma taxa de 9.8 milhões de comparações por segundo. Esse número que realmente parece assombroso, resulta ínfimo se o compararmos com a taxa de processamento que pode ter uma GPU (ATI Radeon 5770), já que pode realizar 3.300 milhões de comparações por segundo. Nesse caso, a velocidade pela qual o processador gráfico decifraria a chave é menos do que um segundo.

No caso de aumentar sua longitude e contar com uma chave de 9 (nove) caracteres combinando números, letras maiúsculas e minúsculas e símbolos, então a CPU levaria 43 anos para decifrar a chave enquanto que a CPU já estaria sendo descoberta em aproximadamente um mês e meio.

Boas práticas e sugestões

Isto significa que combinar letras com números é uma boa prática, não obstante o usuário ahora deva fazer mais do que nunca maior ênfase no comprimento de suas chaves. De fato, quanto menor a capacidade de processamento que tenham os atacantes, maior é a extensão que deve ter a chave do usuário para não sair perdendo na defasagem tecnológica.

A seguir, enumeramos algumas sugestões importantes:

1. Um caractere a mais, sempre vai aumentar exponencialmente a complexidade da chave.

2. Mudar caracteres por números similares para poder recordá-los (A=4, E=3, I=1, etc.).

3. Utilizar várias palavras juntas.

4. Mesclar os números nas palavras que nenhuma palavra pertença a algum idioma.

A seguinte senha serve de exemplo: L4c4s4d3cr1st4l!; pode ajudar a ilustrar ao leitor um caso de uma contrasenha de 16 dígitos, com maiúsculas, minúsculas, números e símbolos que não seja tão dificil de recordar para o usuário e que com a tecnologia existente tardaria milhares de anos em quem se interessasse em decifrá-la.

Raphael Labaca Castro
Awareness & Research Specialist

FOTOGRAFIA. Os 20 blogs mais influentes



Expertphotography.com apresenta uma lista dos blogueiros mais influentes no mundo da fotografia. A seleção foi feita tendo em conta a atualização do site, como é fácil de navegar nele e bom conteúdo. Quase todos têm contas no Twitter, por isso não deixe de seguir.

Este slideshow necessita de JavaScript.

1. Scott Bourne – Twitter – 101523.
2. David Hobby – Twitter: 45.007.
3. Chase Jarvis – Twitter – 65564.
4. Thomas Hawk – Twitter – 18224.
5. Gary Arndt – Twitter – 100183.
6 . Joe McNally.
7. Scott Kelby – Twitter-43.540.
8. Jeremy Cowart – Twitter – 34586.
9. Jasmine Star – Twitter – 29461.
10.Michael Zelbel- Twitter – 26719.
11. David Duchemin – Twitter – 14754.
12. Zack Arias – Twitter – 29337.
13 Jared Polin – Twitter – 5283.
14. Damien Franco – Twitter – 30294.
15. Trey Ratcliff – Twitter – 21613.
16. Sly Arena – Twitter – 5050.
17 . Marc Silber – Twitter – 2545.
18. Alex Koloskov – Twitter – 2323.
19. Bob Krist.
20 . Federico Van – Twitter – 12356.

FONTE

TWITTER. Seu humor define quem você segue



Eis que o escreveu hoje o site Muy Interesante, a respeito do uso das redes sociais:

“As redes sociais promovem a ligação entre indivíduos com características semelhantes , uma tendência conhecida como “homofilia”. Estudos recentes indicam que, para além das características demográficas, tais como, sexo, idade ou raça, estados psicológicos, tais como a solidão também pode definir as relações dos usuários da rede social. Agora, pesquisadores da Universidade de Indiana (EUA) mostraram que, no Twitter, a felicidade geral ou bem-estar subjetivo (BES por sua sigla em Inglês) para usuários que estão determinados a respeito , para que o ‘twitteiros’ acompanhar aqueles que compartilham o mesmo nível de SWB. Além disso, estudam 102.009 usuários ativos do Twitter por seis meses, os pesquisadores descobriram que pessoas felizes tendem a ‘twittou’ para outras pessoas que compartilham essa felicidade. E assim é com tristeza.

Isso torna a plataforma de microblogging popular “uma ferramenta importante para compreender como os sentimentos positivos e negativos estão espalhados ao estabelecer laços sociais “, sugerem os autores do estudo , que anunciou que sua próxima pesquisa irá focar em descobrir “como o humor pode se espalhar e afetar o comportamento de “usuários reais de vida.”

TENSÃO NO ORIENTE. Al Jazeera monitora tweets



Eu sei que o terremoto e o tsunami do Japão esfriaram um pouco a atenção e o foco das pessoas sobre o que o ditador Muamar Kadhafi e seus vizinhos vem enfrentado, mas nem por isso a gente deixa de falar a situação naquela região da África. O site de notícias da Al Jazeera, em inglês, criou uma página especial que mostra os tweets e mede a atividade no Twitter sobre os protestos nessa região. Na plataforma é possível se ver o quadro estatístico com o volume de ‘tweets’ enviados sobre Egito, Libia, Yemen e Bahrein.

É possível se notar que a maioria das mensagens em 140 caracteres trata sobre as revoltas na terra de Kadhafi. As estatísticas – até ontem – mostravam que a cada minuto são enviadas 108 tweets. Além do mais, nesse portal há distribuição de palavras-chaves por cada zona. Por exemplo: as principais etiquetas usadas são Libia, #feb17, Lybia, entre outras.

 

Para você entrar com sua mensagem, CLIQUE AQUI.

INTERNET e o seu uso pelos políticos


“Os políticos que usam a Internet de uma maneira eficiente vão ganhar”

ESTAS são as palavras de Julie Barko, em lainformacion.com. Ela é ex-diretora do Instituto para Política, Democracia e Internet na George Washington University e atual vice-presidente nos EUA da firma de consultoria, Grupo DCI e fala sobre a importância do uso pelos políticos da Internet .

Aproveitei e compilei o vídeo (em inglês mas com legendas em espanhol) para auxiliar a estratégia dos senhores políticos que desejem se atualizar. Ela fala, inclusive, sobre o caso Barack Obama.

VEJA AQUI

POLÍCIA vai usar Twitter para vigiar protestos



Está no blog da Eesperanza Hernandez a informação de que a Polícia britânica vai ficar atenta a protestos e utilizará uma das redes sociais – o Twitter – para o controle de manifestações.

Primeiro foi Túnis quem protagonizou uma rebelião cidadã convocada através das redes sociais. Logo, a coisa chegou ao Egito, que depois de 18 dias de protestos coordenados através das redes como o Twitter, logrou na renúncia do presidente Mubarak.

Assim, enquanto os cidadãos começam a se inteirar do poder da Internet e das redes sociais para lutar por sua liberdade, alguns governos (como o chinês e o egípcio no início dos protestosa) se empenham em censurar ou proibir as conexões a essas formas de comunicação. Os britânicos decidiram utilizar a Internet para vigiar o povo, nesse caso específico que contamos, para inteirar-se em tempo real de ações de protstos que coordenem os cidadãos por essas vias.

Segundo resenha da Associated Press, a Polícia britânica utilizará as redes sociais para rastrear os manifestantes e responder “adequadamente”… Seria interessante saber a que se referem “adequadamente”.

O certo é que um informe do “Corpo de Inspectores de sua Majestade” especifica que as fuerzas de segurança britânicas devem centar-se em vigiar as comunicações que se realizam nas redes sociais, já que este é um canal mais utilizado por manifestações para coordenar suas ações nos últimos tempos.

“Um número importante de manifestantes pode ser organizado em horas e mudar seus objetivos em minutos através do uso das redes sociais e os celulares com conexão na Internet (…) Os responsáveis pela Polícia devem planejar suas ações com essa posssibilidade em mente”, assegura o mencionado informe”.

Link: UK police aim to adapt to Twitter-led protests

COMPORTAMENTO


A influência das redes sociais nos costumes
Este artigo foi publicado originalmente no Cooking Ideas, um blog da Vodafone



Incorporados em redes sociais, os hábitos têm mudado radicalmente nos últimos anos. Novos conceitos, como os «seguidores» (followers/fans) ou «cronologias cotidianas» (timelines/lifestream) foram adicionados às redefinições dos outros como “amigos” que tinha de ser reinventado. Mesmo as regras não escritas sobre educação e comportamento com outras pessoas dentro e fora da rede têm sido alteradas. Apesar de haver muitos mais para escolher, são três aspectos que chamaram a minha atenção para essa “colisão” entre a vida digital e da vida real:

O conceito de “amigo” . As redes sociais têm pecado ao usar alguns termos de uso corrente quando na verdade esses rcomumente utilizados quando na verdade essas funções têm um fiel reflexo sobre as relações no MundoReal ™. Que é exatamente um amigo em uma rede social? Os conhecidos também contam?
“Gente que nunca se viu, nunca se encontrou? “Colegas de trabalho? “Chefes? “Família? No final, o que tem acontecido é que cada usuário entende o termo em sua própria maneira – e age de conformidade para evitar qualquer mal-entendido – no que convém ser cauteloso na compreensão de como entendemos uns aos outros e como eles se comportam a respeito. Devo acrescentar minha família à minha conta do Facebook? É aconselhável que o chefe me siga no Twitter? Devo compartilhar meus videos de bobagem para qualquer outra pessoa além dos meus colegas? … Ou eu vou ter um conflito comigo mesmo, se eu não aceitar todas as opções acima?

Dispersão de atenção– O segmento de conversas de dezenas ou centenas de amigos em uma mesma rede, com vista a gerar milhares de mensagens por dia, é mais suportável se estiver disponível no celular, no iPhone, iPod, tablet ou na rede. O mesmo acontece com o programa ou serviço de mensagens SMS. Mas muitas pessoas consideram que a atenção deve ser prioritária até mesmo sobre aqueles à sua volta em pessoa, produzindo um pouco de situações ridículas: pessoas que se encontram para jantar, mas ele passa seu tempo digitando no celular, mantendo-se amigos para conversar, mas fogem ao bate-papo ali com as pessoas; de reuniões onde o foco é centrado nas conversas externas, criando uma espécie de “limbo” entre os presentes… Tem outra solução?

Alguém teve a genial idéia de inventar os caracteres de «Desliguei meu telefone pra você» como toque de atenção antes dessas situações incômodas. Minha regra social favorita: interagir com outras pessoas com o celular ou notebook enquanto se está reunido é aceitar alguém participar do que está acontecendo, mas não para falar de outros assuntos – pois asseguro que há outro momento melhor.

interagir com outras pessoas com o telefone celular ou laptop enquanto estiver em reunião, sempre que seja aceitável para informá-los sobre o que está acontecendo, mas não para falar de outros assuntos – o que certamente é para um momento melhor. Como, então, numa reuni~´ao de trabalho ficar falando com outras pessoas pelo Twitter ou Facebook criando uma espécie de ‘limbo’ no encontro? Simplesmente “má educação 2.0.”

Abordagem de redes sociais – Um dos fenômenos mais bonitos das redes sociais é transformar momentos de solidão em uma atividade quase social. Alguns exemplos são os fios de # itens (marcados com um rótulo) que aparecem no Twitter, os dias de grandes eventos como jogos de futebol, corridas de Fórmula 1, atraso no jogo de tênis de atraso, até a última expulsão do Big Brother e coisas semelhantes. Pode-se experimentar o evento com “amigos” ou um grande grupo de estranhos, fazendo da solidão coisa do passado: é preciso apenas ter o telefone ou o iPad na mão. Televisões – e os fabricantes de televisores estão realmente lutando para encontrar uma boa forma de integrar ambos os tipos de conteúdo.

Que outras maneiras mudarão nos próximos anos com a evolução das redes sociais? Não há dúvida de que estaremos cada vez mais conectados e vêm até nós mais e mais informações. Portanto, não é incomum que tenhamos de lidar com novos conceitos. Enfim, a cada fim do dia… os costumes mudam.
VIA: Microsiervos

Navegação de Posts