ANTENA PARANÓICA

lemos e descolamos o que há de melhor na rede

Arquivo para a categoria “politica”

CONTRIBUIÇÃO PARA OS DISTINTOS SENADORES



Acabei de ouvir um senador (Pedro Taques-PDT/RS) aparteando o colega Álvaro Dias na sessão plenário do Senado Federal e finalizando sua participação com a frase: “Isso é colóquio flácido para acalentar bovino”. Eu, realmente, não sabia o que significa até que ele próprio traduziu a frase: conversa pra boi dormir.

Interessado a contribuir com essa ‘riqueza vocabular’, o ANTENA PARANÓICA lista a seguir algumas outras citações para melhorar a performance dos políticos que, em Brasília, já estão demonstrando aprender alguma coisa: encher o saco da gente, agora com linguiça vocabular.

1 – Prosopopéia flácida para acalentar bovinos.
(Conversa mole pra boi dormir);

2 – Colóquio flácido para bovino repousar.
(História pra boi dormir);

3 – Romper a face.
(Quebrar a cara);

4- Creditar o primata.
(Pagar o mico);

5 – Inflar o volume da bolsa escrotal.
(Encher o saco);

6 – Derrubar, com a extremidade do membro inferior, o suporte sustentáculo de uma das unidades de proteção solar do acampamento.
(Chutar o pau da barraca);

7 – Deglutir o batráquio.
(Engolir o sapo);

8 – Derrubar com intenções mortais.
(Cair matando);

9 -Aplicar a contravenção do João, deficiente físico de um dos membros superiores.
(Dar uma de João sem braço);

10 -Sequer considerando a utilização de um longo pedaço de madeira.
(Nem a pau);

11 – Sequer considerando a possibilidade da fêmea bovina expirar fortes contrações laringo-bucais.
(Nem que a vaca tussa);

12 – Sequer considerando a utilização de uma relação sexual.
(Nem *******);

13 – Derramar água pelo chão, através do tombamento violento e premeditado de seu recipiente com a extremidade do membro inferior.
(Chutar o balde);

14 – Retirar o filhote de eqüino da perturbação pluviométrica.
(Tirar o cavalinho da chuva);

Essa última foi tirada do mais culto livro de palavras clássicas da língua portuguesa:

15 – A bucéfalo de oferendas não perquiris formação ortodôntica!
(A cavalo dado não se olham os dentes!);

ADVERTÊNCIA PARA FINS DE SEMANA OU FERIADOS:
O orifício circular corrugado, localizado na parte ínfero-lombar da região glútea de um indivíduo em alto grau etílico, deixa de estar em consonância com os ditames referentes ao direito individual de propriedade.
(C.ú de bêbado não tem dono)

Anúncios

INTERNET e o seu uso pelos políticos


“Os políticos que usam a Internet de uma maneira eficiente vão ganhar”

ESTAS são as palavras de Julie Barko, em lainformacion.com. Ela é ex-diretora do Instituto para Política, Democracia e Internet na George Washington University e atual vice-presidente nos EUA da firma de consultoria, Grupo DCI e fala sobre a importância do uso pelos políticos da Internet .

Aproveitei e compilei o vídeo (em inglês mas com legendas em espanhol) para auxiliar a estratégia dos senhores políticos que desejem se atualizar. Ela fala, inclusive, sobre o caso Barack Obama.

VEJA AQUI

MAPA MUNDI. As cores da mudança




Aos poucos, o norte da África e o oeste da Ásia ganham colorações diferentes no mapa do mundo. São as mudanças que acontecem, tendo a informação como vetor de tudo.

Vermelho: há uma revolução
Laranja: fortes protestos.
Amarelo: protestos menores.
Verde: outros países árabes onde não há protestos.

Publicação a partir de artigo do Wikipedia ,
VIA: Eduardo Arcos.

POLÍTICOS


Povo paga até a tv deles

Está na coluna Painel, da Folha: “A Câmara vai renovar o serviço de TV por assinatura dos deputados. Os gabinetes da liderança do PR serão equipados com sete pontos -a maior cota, pelo edital. A Câmara vai usar ainda R$ 1,5 milhão para trocar os painéis eletrônicos do plenário por terminais de LCD”.

POLÍTICA


A morte de Kirshner

A morte do ex-presidente da Argentina Kirschner abre uma série de discussões. Compilei alguns blogs em espanhol que abordam o fato onde há reflexões expressivas sobre o político e sobre a Política argentina.

1.Lucas Carrasco
2.
La Muerte de un politico
3. Aldo Ulysses Jarmen

JUSTIÇA


A lista dos fichas-sujas

Tem gente indagando em nosso programa da Povo_CBN onde localizar a lista dos fichas-sujas. Tem um blog, o Olhar Jornalístico, que fez a publicação de casos.

J O R N A I S


O que eles estão falando

Diário do Comércio

POLÍTICA


Os candidatos segundo
a imaginação dos cegos


A Folha de SP fez uma matéria curiosa sobre as eleições. Pediu ao seu ilustrador que fizesse o retrato-falado dos candidatos à Presidencia da Repúlica segundo a descrição de deficientes visuais. O resultado é impressonante.

O que os olhos não veem

A convite da Folha, três deficientes visuais contaram ao ilustrador Gilberto Lefèvre como imaginam os candidatos; veja os retratos que traduzem as descrições

DILMA ROUSSEFF
Por Sergio Mantovani, designer gráfico aposentado, 38

Séria; rosto quadrado; lábios finos; cabelo na altura dos ombros; sem óculos; olhos grandes; nariz entre médio e fino

JOSÉ SERRA
Por Josias Angelo da Silva Neto, estudante, 26

Carrancudo; rosto arredondado, com extremidades quadradas; careca com cabelos dos lados; orelhas fora do normal (deve ouvir muito); olhos famintos por poder; nariz largo; lábios grossos; não usa óculos

MARINA SILVA
Por Ana Cláudia Domingues, pedagoga, 40

Serena, dócil, tranquila (bem diferente dos outros); rosto ovalado; traços delicados; boca carnuda; cabelo comprido, ondulado, crespo suave; usa óculos; nariz bem delicado

ELEIÇÕES 2010


O escândalo Erenice

O jornalista Augusto Nunes, em seu blog Direto ao Ponto, postou uma observação muito importante no seu blog que a gente faz questão de destacar aqui:

“O senador ensina em 90 segundos que o dever de um oposicionista é fazer oposição”

As bandalheiras da família de Erenice Guerra confirmaram que, se nenhum partido faz tanto para perder quanto o PT, nenhum se esforça mais que o PSDB para não ganhar. Desde o começo da campanha eleitoral, a oposição foi presenteada pelos governistas com pelo menos quatro cruzamentos para a pequena área que deixaram os adversários na boca do gol: o dossiê bandido contra José Serra, os estupros em série do sigilo fiscal de parentes e amigos do candidato, a prisão dos quadrilheiros do Amapá e, agora, as bandidagens na Casa Vil.

Nenhuma dessas bofetadas no rosto da lei, da moral e da ética animou os comandantes da campanha presidencial oposicionista a acordarem o país abúlico com veemência dos justificadamente indignados. Prisioneiro da opção pela ambiguidade e da falácia segundo a qual quem topa a briga perde pontos, Serra reagiu a cada escândalo com os mesmos protestos tímidos e o refrão soprado por marqueteiros: “O mais importante é discutir programas de governo”. Como se no país devastado pela gula dos ladrões e pela arrogância dos autoritários já não valessem por um programa inteiro de governo a defesa do estado democrático de direito a o combate feroz à corrupção.

Além do mais, ainda que confrontado com um quadro político-eleitoral adverso, o dever de um oposicionista é fazer oposição. A lição, velha como a primeira urna, é reiterada pelo senador Jarbas Vasconcelos no vídeo de 90 segundos (o tempo de que dispõe no horário eleitoral gratuito). Candidato ao governo de Pernambuco, o senador do PMDB tem lutado com a bravura de sempre contra o vale-tudo dos caciques regionais. Mas não renunciou ao combate na frente nacional. Afrontado pelo apodrecimento do coração do Planalto, defendeu José Serra e atacou o governo. Falou em nome dos brasileiros honestos.

Jarbas deve perder a eleição. É irrelevante. Não perdeu a valentia, a coerência e a capacidade de indignar-se que têm faltado à campanha presidencial da oposição”.

11 DE SETEMBRO


O editorial do NY Times

Nove anos depois de os terroristas terem destruido o World Trade Center, um memorial e um centro de transportes estão prestes a tomar forma num edifício que começa a surgir no chamado “marco zero”.

Esse renascimento físico é motivo de comemoração neste aniversário. É uma maneira muito mais adequada para desafiar os extremistas cheios de ódio que atacaram os Estados Unidos em 11 de setembro de 2001 e para honrar as vítimas, não para chafurdar na intolerância e medo que se multiplicaram em todo o país. Eles são alimentados pelo tipo de intolerância exibida pelo candidato a queimar o livro do Alcorão, na Flórida, e que é infelizmente alimentada por pessoas em posições de poder real, inclusive membros proeminentes do Partido Republicano.

A visão mais importantes no “ground zero” agora é o memorial Michael Arad. As conchas de duas piscinas gigantes com 30 metros de profundidade esurgem exatamente nos lugares onde as torres existiram uma vez.

As cachoeiras enormes em torno dos lados, os nomes dos inscritos e de vítimas da praça são prometidos para o 10o aniversário no próximo ano. Mas dois tridentes de 70 pés que outrora foram a base das torres gêmeas foram instalados na semana passada. O museu será construído em torno deles até 2012. E os primeiros 16 de 416 carvalhos foram plantados no mangue que tem uma superfície de oito hectares.

[…] Após anos de querelas políticas e lassidão financeira, a reconstrução no local começou a sério há dois anos. Isso foi quando o prefeito Michael Bloomberg exerceu sua considerável força para garantir que o memorial esteja concluído em 2011. Na mesma época, as autoridades portuárias de Nova York e Nova Jersey passarão a responsáveis pelo maior controle do local.

Texto completo em inglês

Navegação de Posts