ANTENA PARANÓICA

lemos e descolamos o que há de melhor na rede

LENTA E CONSTANTE: O VINIL SOBREVIVE


O blogueiro Ganz Jacob escreve no NPR Music:

Nos últimos anos, algumas manchetes falaram de um aumento nas vendas de discos de vinil – outrora considerado uma vítima da era do CD – como uma espécie de farol de esperança para a luta da indústria da música. A realidade mostra que não é tão rósea assim. Embora as vendas de vinil cresceram 14% em 2010 , segundo a Nielsen SoundScan, ainda há menos de um por cento do ano no total de vendas do álbum.

Mas o vinil nunca tinha realmente ido embora. É só dizer coisas diferentes para diferentes gerações. Hoje, na maioria das vezes, isso significa que os fãs de indie rock. De acordo com o relatório Nielsen de fim de ano, aqui estão os dez melhores álbuns de vinil de 2010, com valores de vendas entre parênteses:

Abbey Road – The Beatles (35.000)
Subúrbios – Arcade Fire (18800)
Brothers – The Black Keys (18400)
Contra – Vampire Weekend (15.000)
Thriller – Michael Jackson (14.200)
Alta Violet – The National (13.600)
Teen Dream – Beach House (13.000)
Vales de Netuno – Jimi Hendrix Experience (11400)
Dark Side of the Moon – Pink Floyd (10600)
XX – O XX (10200)

A indústria da música tem visto as vendas diminuírem as expectativas quanto a norma, mas as vendas de vinil praticamente não comparados aos de outros formatos. Arcade Fire ‘s The Suburbs já vendeu mais de meio milhão de cópias, incluindo as vendas de CDs e downloads digitais.

Mesmo entre as pessoas que se dizem devotadas ao vinil são cautelosas quanto a descreverem a volta do formato.

“Eu acho que definitivamente foi uma reação ao mp3, mas acho que os dois juntos fazem todo o sentido”, diz ele.

É por isso que verão no México – como muitos outros rótulos que a imprensa ainda as suas músicas em vinil – Pacotes de seus LPs com os códigos para download de mp3 versões das músicas do álbum.

Quando se trata de produção, o vinil é um pouco de mistério. Nós sabemos como CDs, cassetes e MP3 são feitas e reproduzidas porque podemos fazer todas essas coisas em casa. Vinil, nem tanto. Visitar uma fábrica onde o vinil é pressionado em alguns casos é como voltar no tempo.

Anúncios

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: